Resenha|Um cavalheiro a bordo – Julia Quinn (Os Rokesbys #3)

                                                               Sinopse

um cavalheiro a bordo, julia quinn, beleza de livros

Ela estava no lugar errado…

Durante um passeio pela costa, a independente e aventureira Poppy Bridgerton fica agradavelmente surpresa ao descobrir um esconderijo de contrabandistas dentro de uma caverna.

Mas seu deleite se transforma em desespero quando dois piratas a sequestram e a levam a bordo de seu navio, deixando-a amarrada e amordaçada na cama do capitão.

Ele a encontrou na hora errada…

Conhecido entre a alta sociedade como um cafajeste e um corsário inconsequente, o capitão Andrew James Rokesby na verdade transporta bens e documentos para o governo britânico. No meio de uma viagem, ele fica assombrado ao encontrar uma mulher na sua cabine. Sem duvida sua imaginaçao esta lhe pregando pecas. Mas, não, ela e bastante real – e sua missao para com a Coroa o deixa preso a ela.

Sera que dois erros podem acabar no acerto mais maravilhoso de todos?

Quando Andrew descobre que Poppy e uma Bridgerton, entende que provavelmente terá que se casar com ela para evitar um escândalo. Em alto-mar, as disputas verbais entre os dois logo dão lugar a uma inebriante paixão. Mas depois que o segredo de Andrew for revelado, sera que ele conseguira conquistar o coração dela?


Olá leitores lindos! Como vocês estão, tudo beleza?

Um cavalheiro a bordo é o terceiro livro lançado pela Julia Quinn da linhagem Os Rokesbys, onde nós tivemos o prazer de conhecer a história do sarcástico e muitas das vezes considerado inconsequente, Andrew. Uma história intercalada pelo ponto de vista tanto de Andrew quanto de Poppy, que nem imaginaria que pudesse conhecê-lo de uma maneira tão surpresa quanto inusitada.

Todos nós sabemos que a Família dos Rokesbys e dos Bridgertons  sempre foram muito próximas e que  ambas famílias ficariam muito felizes se um se apaixonasse pelo outro e a união fosse pelo sangue. Poppy fica irritada e querendo matar alguém quando ao descobrir uma caverna que não seria vista por qualquer um, caso Poppy não fosse tão curiosa, ser encontrada, amarrada, colocada em um saco e jogada na cama de uma pessoa que ela nunca viu, e ainda por cima dentro de um navio que já estava zarpando.

“Andrew era o comandante inquestionável do navio e não havia a bordo um único homem que se atrevesse a contrariar uma ordem dele – também não havia a bordo um único homem que quisesse contrariá-lo”.

Ao descobrir uma mulher jogada em sua cama, na sua cabine, tudo o que Andrew faz é pedir explicações aos seus homens que trabalhavam em sua tripulação e de uma coisa Andrew tem certeza, não pode deixá-la voltar pois a caverna que ela descobriu tem certas coisas que não podem ser encontradas já que faz parte do trabalho que presta a coroa.

Andrew percebe que a única maneira dela não contar nada a ninguém é deixá-la viajar com eles por duas semanas e depois na volta tirassem tudo que colocaram naquela caverna e enviassem para outro lugar. Será uma semana divertida com respostas atrevidas e espirituosas com questões filosóficas onde somente um entende o outro, claro que só vão perceber isso com o tempo.

“Ela o encarou, sustentado o olhar. Estava fazendo questão de se mostrar tão blasé quanto ele. E, se não conseguisse, morreria tentando”.

A situação em que se encontravam até poderia ser melhor, caso Andrew não soubesse que ela era uma Bridgerton, ou seja, caso fosse descoberto que estavam zarpando em um navio praticamente sozinhos e a tanto tempo, na certa seria obrigado a se casar com ela. Um ponto ao seu favor: Ela não sabe que ele é um Rokesbys.

um cavalheiro a bordo, os rokesbys, eu amo ler, livros, resenha, beleza de livros

Esse livro também nos faz refletir sobre tamanho conhecimento que somente os homens tinham o direito de adquirir como fazer faculdade e as mulheres não, o que me fez pensar no que Poppy disse no livro, com certeza, se as mulheres tivessem esse direito seriam mais inteligentes e possuiriam mais poder que os homens, o que naquela época era inaceitável.

“À noite. Com certeza. Ele não iria voltar, de jeito nenhum, para ver como ela estava. Definitivamente, não”.

Andrew começa a perceber que não consegue ficar muito tempo longe de Poppy e arranja qualquer desculpa apenas para ficar perto dela, conversando e ouvindo suas respostas que poucas pessoas conseguem competir com ele no quesito respostas rápidas e certeiras.  

“Ela riu outra vez chegando mesmo a tombar a cabeça para trás com a gargalhada. Andrew estava enfeitiçado. Já a achava bonita, mas, naquele momento ela transbordava algo muito, muito além da beleza”.

Um cavalheiro a bordo é um livro surpreendente que ao darmos início zarparmos junto com os personagens ouvindo um som de mar, sentindo a brisa no rosto e iniciando uma história que promete, afinal é da Julia Quinn. Andrew e Poppy são personagens inquestionavelmente irritantes, maravilhosos e muito inteligentes que atiçam a curiosidade do leitor para saber mais e aprender sobre questões que geralmente não pensamos. Os dois personagens lidarão com  situações bem complexas e ainda tem o fato de Poppy não saber que Andrew é um Rokesbys. Eu com certeza indico esse livro e já sinto saudades dos meus impetuosos personagens.

“Se fizesse uma pergunta boba talvez ele até risse, mas nunca dela. Andrew ria porque a curiosidade dela o alegrava”.