Resenha|O acordo – Elle Kennedy (Amores improváveis #1)

Sinopse

Tocante, profundo, engraçado, sexy… ”O Acordo” é um romance que vai te encantar e surpreender a cada página.

o acordo, amores improváveis, elle kennedy, beleza de livros, eu amo ler, livros, blog, best seller, books, romance, séries, resenhasHannah Wells finalmente encontrou alguém que a interessasse. Mas, embora seja autoconfiante em vários outros aspectos da vida, carrega nas costas uma bagagem e tanto quando o assunto é sexo e sedução. Não vai ter jeito: ela vai ter que sair da zona de conforto Mesmo que isso signifique dar aulas particulares para o infantil, irritante e convencido capitão do time de hóquei, em troca de um encontro de mentirinha.

Tudo o que Garrett Graham quer é se formar para poder jogar hóquei profissional. Mas suas notas cada vez mais baixas estão ameaçando arruinar tudo aquilo pelo qual tanto se dedicou. Se ajudar uma garota linda e sarcástica a fazer ciúmes em outro cara puder garantir sua vaga no time, ele topa. Mas o que era apenas uma troca de favores entre dois opostos acaba se tornando uma amizade inesperada. Até que um beijo faz com que Hannah e Garret precisem repensar os termos de seu acordo.


O acordo é o primeiro livro da série amores improváveis que impactou todas as minhas estruturas e superou todas as minhas expectativas. Eu amo um romance. Sabe aquele livro que você lê a sinopse e pensa “cara, esse é bom, eu queroooo, eu necessitoooo”, foi exatamente dessa forma. Nós conhecemos Hannah Wells, uma garota muito inteligente que possui uma paixão por um de seus colegas de classe Justin Kohl.

“Justin Kohl se demora perto da porta para falar com alguém, e meu olhar se fecha sobre ele como um míssel teleguiado. Lindo”.

Justin é jogador de futebol americano, famosinho na sua escola, é lindo, humilde, não anda agarrado com as meninas, enfim… exceto a beleza, na opinião de Hannah  ele é o oposto de Garrett Graham. Um cara lindo que é jogador de Hóquei, igual ao  pai super famoso que muitos de seus amigos de classe idolatram.

Hannah nunca imaginaria em toda sua vida que um dia Garrett, o cara popular da escola, capitão do time de Hóquei que vive agarrado com várias meninas, e consegue tudo o que quer, ao ver sua prova e notar que ela tirou 10 em uma matéria que ele precisa estudar urgentemente para sua média não cair e continuar jogando Hóquei, iria pedir aulas particulares. Isso mesmo, só que Hannah não aceitará. A resposta de Hannah será imediatamente não, porque primeiro, ela está se preparando para um campeonato de música então está com muito trabalho, e segundo, ela não planeja se misturar com pessoas da estirpe dele.

“Garrett nota o meu olhar surpreso e arqueia as sobrancelhas novamente. ” Aprendi um monte de coisas sobre você no grupo de estudos. Seu telefone, seu nome completo, até onde você trabalha”.

Parabéns, você é mesmo um psicopata”.

O que Hannah não imagina é que Garrett insistirá muito, até descobrir que ela está apaixonda por Justin, um de seus colegas. Então irá propor um acordo, ela ajuda ele com as aulas particulares, e ele finge que é seu namorado para ela se aproximar de Justin, ficando no mesmo núcleo social.

Durante suas aulas com Garrett, será completamente impossível Hannah não acabar gostando do cara, como amigo óbvio. Será muito divertido ver a amizade surgir entre eles. Os dois serão como melhores amigos que estarão sempre juntos, dividindo confidências e se aproximando a cada vez mais. Hannah perceberá que Garrett não é o cara idiota com excesso de estrelismo e burro que imaginava, ao contrário, cada vez que eles se aproximar a amizade deles ficará mais intensa. 

o acordo, elle kennedy, beleza de livros, blog, amores improváveis, resenha, eu amo ler, blog, livros, books, séries, editora paralela

Será bastante diferente para Garrett entrar em seu quarto e ver Hannah em sua cama assistindo a um episódio de uma série, ao invés, dele estar se agarrando com ela, o que faria caso não fosse sua “professora” e na sua perspectiva sua amiga. 

“Hum…O que você quer ouvir?”

“Qualquer coisa. Não me importo”. Fico espantada com a intensidade da sua voz, a emoção brilhando naqueles olhos cinzentos. ” Só preciso ouvir você cantando de novo”.

Apesar de começar a surgir um clima entre os dois, ambos, não querem que fique um clima ruim e acabem se afastando. Eles precisam se lembrar que Hannah é  apenas sua amiga, algo que nunca teve do sexo feminino e Garrett além de seu amigo é seu namorado fictício.

“Não achei que a nossa farsa fosse resultar em alguma coisa com a qual eu precisasse me preocupar mas, evidentemente, meu plano está funcionando muito bem. Kohl só tem olhos para Hannah, e não gosto disso. Nem um pouco”.

Só que um acontecimento do passado de Hannah fará com que eles se aproximem, e que de amigos passem para namorados. Os dois possuem feridas que apesar de serem velhas, não cicatrizaram, e juntos serão capazes de curar um ao outro, mesmo que o destino faça de tudo para separá-los. 

o acordo, elle kennedy, beleza de livros, blog, amores improváveis, resenha, eu amo ler, blog, livros, books, séries, editora paralelaEsse livro é maravilhoso, com certeza eu indico e posso ler mais dez vezes que minha resposta seria a mesma. Todos os amigos de Garrett possuem suas próprias histórias que fazem parte dessa saga apaixonante e espero encontrar esses personagens nos próximos livros. A autora soube abordar um tema muito delicado que serve para todos os jovens ficarem mais alertas, leiam. Nós somos envolvidos em um enredo que possui muita música, cenas divertidas, bastante humor com um gostinho de quero mais. Enfim, o amor pode existir até mesmo nos casos mais improváveis.

“Tenho um perfil ideal no que diz respeito a rapazes. Calmo, sério, temperamental. Criativo, se eu tiver sorte. Tocar um instrumento é sempre uma vantagem. Inteligente. Sarcástico, mas não de um jeito depreciativo. Sem medo de mostrar suas emoções. Alguém que me faça sentir…paz”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Resenha|Mas tem que ser mesmo para sempre? (Sophie Kinsella)

                                            Sinopse

sophie kinsella, mas tem que ser mesmo para sempre? resenhas, livro, resenha, beleza de livros

Juntos há dez anos, Sylvie e Dan compartilham todas as características de uma vida feliz: uma bela casa, bons empregos, duas filhas lindas, além de um relacionamento tão simbiótico que eles nem chegam a completar suas frases – um sempre termina a fala do outro.

No entanto, quando os dois vão ao médico um dia, ouvem que sua saúde é tão boa que provavelmente vão viver mais uns 68 anos juntos… e é aí que o pânico se instala. Eles nunca imaginaram que o “até que a morte nos separe” pudesse significar sete décadas de convivência.

Em nome da sobrevivência do casamento, eles rapidamente bolam um plano para manter acesa a chama da paixão: de um jeito criativo e dinâmico, passam a fazer pequenas surpresas mútuas, a fim de que seus anos (extras) juntos nunca se tornem um tédio.

Porém, assim que o Projeto Surpresa é colocado em prática, contratempos acontecem e segredos vêm à tona, o que ameaça sua relação aparentemente inabalável. Quando um escândalo do passado é revelado e algumas importantes verdades não ditas são questionadas, os dois – que antes tinhas certeza de se conhecerem melhor do que ninguém – começam a se perguntar: Quem é essa pessoa de verdade?…”.

Um livro espirituoso e emocionante que esmiúça os meandros do casamento e que demonstra como aqueles que amamos e achamos que conhecemos muito bem são os que mais podem nos surpreender.


Dan e Sylvie possuem um relacionamento perfeito, muito perfeito mesmo. Eles são um Casal com “C MAIÚSCULO”, é impressionante a forma como eles simplesmente sabem o que o outro está pensando.

Eles apostam coisas no restaurante como, eu sei o que você vai pedir e praticamente acertam o que o outro escolheu. Eles falam frases juntos, é previsível o que o outro vai fazer, pois já possuem 10 anos de casamento. Então após irem ao médico e descobrir que estão ótimos de saúde, ficam obviamente felizes, até o querido e maravilhoso médico dizer que possuem genes tão bons, que podem viver juntos pelo menos ainda 68 anos ao lado do outro.

Isso é algo bom não é? Claro! Porém isso começa a afligir suas mentes e eles ficam completamente apavorados, pois NINGUÉM se casa, pensando que vai ficar realmente junto pelo resto da vida com outra pessoa, até possuir cabelos brancos, pele enrugada, perder os dentes… E o principal, eles começam a pensar que a vida vai ficar “chata” e para evitar isso decidem fazer surpresas para o outro.

sophie kinsella, mas tem que ser mesmo para sempre?, resenhas, livro, resenha, beleza de livro, beleza de livros, mas tem que ser mesmo para sempre

O que era para ser algo bom, começa a ficar muito estranho. Sylvie vai começar a  desconfiar de Dan, quando ele começar a receber muitas ligações, ficar estressado demais, “raivoso”, com as mesmas desculpas que “não é nada”. Isso é algo que nunca aconteceu no relacionamento deles, desconfiança, traição, insegurança e agora não ter idéia do que Dan está pensando.

Sylvie desconfia de Dan e vai atrás da verdade. O que será que Dan esconde dentro de uma gaveta trancada a “sete chaves”? Uma gaveta que ela nunca tinha visto! E ela descobre. A verdade pessoal é de tirar o fôlego, juntos choramos pelo casal, torcemos, gritamos e rimos muito. Sophie Kinsella eu amei conhecer essa obra maravilhosa e ter me sentido parte desse casal que estará sempre comigo e ganhou uma parte do meu coração.

Dan e Sylvie foram personagens incríveis que me fizeram sentir muita raiva, tristeza, euforia, alegria, simpatia e carinho. A autora nos mostrou a importância do amor eterno, a lealdade entre si e a confiança.

Eu estou sem palavras, para dizer o quanto estou apaixonada por esse livro. Amei!

E sim pessoal. VOCÊS DEVEM LER. É aquele tipo de livro que mesmo depois de anos, você ainda se lembra.

Já leu esse livro ou pretende ler? Comente abaixo!!!!

Frases

“Nós dividimos nossa vida em década. Em cada década fazemos algo diferente e legal. Conquistamos coisas. Nos superamos. Tipo, que tal se, por uma década inteira, a gente só se falasse em italiano?”.

“Ele parece fechado em sua pequena bolha, perdido em pensamentos e até mesmo agressivo”.

“Eu costumava pensar que nosso casamento era uma entidade sólida. Firme e densa, com talvez somente uma ou outra falha sísmica.

Más será que essas falhas sísmicas são maiores do que eu pensava?” 

“Amar é achar uma pessoa infinitamente fascinante”.