Publicado em Editora Skull, Ler, Resenhas

Resenha|O telefonema que não fiz – Jonas Zair Vendrame

Sinopse

o telefonema que eu não fiz

Júlia era uma mulher bonita e de vida intensa, considerava-se imatura e gostava disso, apesar de seus 26 anos.
“O futuro não importa, somente viver o momento é a prioridade.”

Ao deixar de executar uma simples tarefa em seu trabalho para poder curtir o final de semana, tudo muda.
Não esperava que aquela negligência fosse ter consequências desastrosas, capazes de mudar a vida de muitas pessoas e principalmente a dela para sempre.

Suas tentativas de reparo agravam os problemas, até que a culpa começa a pesar demais e destruir seu psicológico.
Um telefonema não feito, um erro, uma vida toda a se pagar.


O telefonema que não fiz é um livro que nos faz refletir sobre tudo, principalmente sobre como estamos levando nossas vidas. O que nós estamos fazendo com o nosso tempo? O que nós poderíamos fazer de diferente para nos tornarmos pessoas melhores? Júlia é uma pessoa que logo no início percebemos que é bem egocêntrica, irresponsável e fútil em algumas ocasiões e quando deixa de executar uma tarefa que ela percebe que cometeu o maior erro da sua vida.

Ela trabalha em um Hospital como atendente de um setor interno e precisa realizar sempre algumas ligações para o setor de marketing, para um sócio, deixar alguns recados (esse tipo de coisa)… Esse era o seu trabalho, e no dia que sua chefe solicitou que ela ficasse após o seu horário e realizasse uma simples tarefa, ela comete o erro de não ligar para a pessoa da ultima ficha das cinco entregue e sua vida muda drasticamente.

“O erro de não ter feito a ligação naquele dia foi consequência de escolhas ruins dos últimos anos. O mal atrai o mal”. 

Após uma discussão com o namorado tudo que Júlia fez foi guardar a última ficha e partir para a festinha na casa de uma prima. Sua vida era assim rodeada de amigas e festas até a madrugada que fazia dela ser uma pessoa super feliz, claro, na opinião dela. Quando dias depois Júlia verifica aquela ficha onde não fez a chamada, ela percebe que cometeu um imenso erro, e esse erro causou uma imensa tragédia.

“Está na hora de amadurecer, tenho que assumir meus erros, reparar os danos que eu causei”.

Enquanto eu lia esse livro, eu me perguntava o que faria na situação dela. Eu me coloquei no lugar dela e percebi que não teria ideia do que fazer para remediar o que aconteceu pois foi algo que fica marcado permanentemente na vida de uma pessoa. Você fica desnorteado. Júlia é uma personagem determinada a diminuir sua culpa e quem sabe receber perdão. Mesmo que seja uma ínfima possibilidade, já é algo ao qual se pode agarrar.

O telefone que não fiz, Beleza de Livros, Jonas Zair Vendrame, Eu amo ler, belezadelivros.com, Livros, Editora Skull

Um livro que mostra que um simples gesto ou atitude pode transformar o dia de uma pessoa que não está bem e ressalta a importância de aproveitarmos o nosso tempo e saber realizar as melhores escolhas, decisões e, infelizmente, contar nos dedos os amigos verdadeiros que estão presentes nos momentos mais vulneráveis de nossas vidas.

“Claro quem fez o grande erro no final das contas fui eu, mas se não tivesse sido tão fútil nos últimos anos, talvez tivesse atraído coisas positivas. E nunca teria feito o que fiz”.

Uma questão importantíssima retratada no livro é sobre a doação de órgãos humanos e o fato de sabermos que ajudando nisso, podemos salvar uma vida que pode fazer uma diferença no mundo e quem sabe, tornando um lugar melhor. Eu ficaria feliz sabendo que contribui com isso. 

Um final estupendo com uma reviravolta de tirar o fôlego e que nos mostra que todas as nossas decisões sejam boas ou ruins, no fim tem uma consequência e absolutamente nada acontece por acaso. Você sente todo o desespero e aflição de Júlia e isso que torna a história mais emocionante e real. Até minha mãe sentia isso quando eu li para ela. Leia e depois me diga o que você faria. Recomendo.

“Sofremos pelo que não temos ao invés de valorizarmos o que possuímos”.

Publicado em Resenhas

Resenha|Destinado #3 – Carina Rissi

                     Sinopse 

destinado, beleza de livrosIan Clarke é um homem de sorte e sabe muito bem disso. Ele encontrou a felicidade que tanto almejava ao lado de sua amada (e complicada) Sofia. Não que tenha sido fácil — mas o que é simples quando o assunto é sua esposa? O destino tem sido gentil, e por essa razão Ian se esforça tanto para ser um bom marido, um bom pai, um bom irmão. Entretanto sua felicidade começa a ruir no baile de aniversário de sua irmã, Elisa. Ian assiste, impotente, enquanto sua vida perfeita se transforma em uma terrível catástrofe. A noite é desastrosa, e Elisa, a menina que ele jurou proteger, se torna alvo de um escândalo. Mas o pior ainda está por vir. Um assunto do passado, um pesadelo que há muito o persegue, retorna para assombrá-lo. Aterrorizado com a possibilidade de perder Sofia outra vez, Ian segue seu coração na tentativa de proteger a mulher que ama, sem se importar com as consequências. Ele só não suspeitava de que o preço a pagar seria tão alto…

Olá leitores maravilhosos! Tudo beleza com vocês? 

Destinado é o terceiro livro da série perdida onde tem a continuação da história de Sofia e Ian, mas o melhor é que a autora colocou situações que ocorreram nos livros anteriores para lermos pelos olhos do Ian Clark, então tem sim, um livro aos olhos de Ian e não de Sofia. Eu gostei muito pois Carina Rissi trouxe momentos inesquecíveis para nossa grande alegria. Tais como, o primeiro encontro desse casal onde nem o tempo pode separar.
Você ficou curioso(a) para saber como foi? Carina conta com detalhes o que ao mesmo tempo me deixou ansiosa por mais livros aos olhos de Ian, um personagem que encantou leitores ao mundo todo com seu jeito meio tímido, lindo e maravilhoso de ser.
“Alguns vizinhos de balcão nos lançaram olhares reprovadores, mas Sophia não percebeu e eu não me importei. Tudo o que eu queria era vê-la feliz e, se me beijar em público a deixava feliz, não seria eu a impedi-la”.
Agora nem tudo é love e um baita final feliz, não mesmo! Após Elisa ser alvo em um escândalo e de repente ser transportada para o século vinte um alterará a vida de todos eles, e talvez, irreversivelmente.
Sofia e Ian vão fazer de tudo para resgatá-la no século vinte um, mas vamos combinar que não era para a vida deles mudar dessa forma de uma hora para o outra né gente! Ou seja, ao voltar para o século vinte um, o futuro,  fez com que mudanças surgissem em suas vidas.
“Assenti, contemplando a cidade, tentando fazer meu coração entender que aquela bagunça não se tratava de uma ameaça. Era apenas o futuro.
Tínhamos conseguido. Estávamos no século vinte um”.
Em meio a nova realidade de Ian e Sofia mais a busca louca por Elisa em uma metrópoles enorme, nós voltamos ao passado e começamos a lembrar de momentos que somente conhecíamos aos olhos de Sophia, mas que agora Ian narra em nossas mentes o que ele pensou quando a viu a primeira vez, como foi seu casamento, o nascimento de sua filha, exatamente tudo com ele nos mostrando os seus pensamentos e sentimentos.
livro destinado carina rissi, belezadelivros
Estar em outro lugar, em outro século e conhecer os amigos de Sofia como Rafa e Nina ajudará Ian a entender melhor sua forma de ser, apesar de ele mega entender ela.
Mas o que nosso coração não suporta queridos leitores é perceber que a cada momento que se passa naquele século Ian perde um momento precioso de sua vida com Sofia, e se continuar assim, depois não se lembrará sequer que existiu em sua vida. E tudo que eles viveram simplesmente pode ser apagado.
“Sempre pensei que meu pior pesadelo fosse perder Sofia. E, sim, era inaceitável, inconcebível a mera ideia. Entretanto,perder as lembranças e esquecer tudo o que viveram no último ano e meio me deixou com a sensação de ter sido mutilado”.
Destinado é um livro que despedaçou o meu coração, no bom sentido, eu fiquei triste ao perceber o sofrimento tão real de Ian diante a perda de memórias tão preciosas. Eu amei vê-lo conhecer as modernidades do nosso século, e também sua admiração com invenções que realmente vale a pena. Eu chorei com o último capítulo, é tanta emoção que você não suporta guardar dentro de si. Você não sabe qual será o desfecho, até terminar a última linha.  Já disse que recomendo? Não!? Claro que eu recomendo, não só esse mas todos os livros da série perdida. #ParaSempreIaneSofia
“Ainda que se tratasse apenas do delírio de alguém claramente em choque, peguei-me querendo que o que ela dizia fosse mesmo dirigido a mim. Naquele instante, com aquela mulher em meus braços, desejei mais do que já desejara qualquer coisa na vida ser o homem a quem todo aquele amor era destinado”.
Publicado em Editora Valentina, Resenhas

Resenha|Ônix #2 – Jennifer L. Armentroud

                                                                            Sinopse

ônix livro, saga lux, beleza de livros

ESTAR CONECTADA A ELE É UMA DROGA!

Graças ao seu abracadabra alienígena, Daemon está determinado a provar que o que sente por mim é mais do que um efeito colateral da nossa bizarra conexão. Em vista disso, fui obrigada a dar um “chega pra lá” nele, ainda que ultimamente nossa relação esteja… esquentando.

ALGO PIOR DO QUE OS ARUM RONDA A CIDADE.

O Departamento de Defesa está aqui. Se eles descobrirem o que o Daemon pode fazer e que nós estamos conectados, vou me ferrar. Ele também. Além disso, tem um garoto novo na escola que, tal como a gente, guarda um segredo. Ele sabe o que aconteceu comigo e pode ajudar, mas, para fazer isso, preciso mentir para o Daemon e ficar longe dele. Como se isso fosse possível!

ATÉ, QUE DE REPENTE, TUDO MUDA.

Vi alguém que não deveria estar vivo. E tenho que contar ao Daemon, mesmo sabendo que ele não vai parar de investigar até descobrir toda a verdade.

NINGUÉM É O QUE PARECE SER. E NEM TODO MUNDO IRÁ SOBREVIVER ÀS MENTIRAS.


Olá gente! Como vocês estão? Tudo beleza?

Depois de Katy descobrir que seus vizinhos são áliens de luz, os luxen, que vieram de outro planeta e possuem super poderes, sua vida mudou drasticamente. O Daemon a trata como um cavalheiro, como se ela fosse uma pessoa muito especial para ele. Porem, Katy, acredita que ele não gosta dela, e essa aproximação bizarra que de repente ele demonstrou por ela é efeito da ligação existente entre eles.

A ligação que surgiu quando ele a curou. Agora é como se os dois fossem apenas um. O coração bate as mesmas batidas, no mesmo ritmo e sempre quando se aproximam, eles sentem a presença do outro, como um arrepio na nuca. Tudo que Daemon quer é demonstrar que gosta de Katy e mais do que isso. Mas a Katy se torna uma personagem nesse livro que muitas das vezes, chega a ser insuportável. A gente vê claramente o Daemon se esforçando, porém, ela sempre arruma uma justificativa para os seus atos.

“Dei mais alguns passos, parando ao sentir os dedos afundarem na terra molhada da margem. Um calor enlouquecedor fazia com que minha pele parecesse em brasa. Ardente. Cáustica”.

Em meio a tantas coisas, Katy descobrirá que de alguma forma pegou alguma “coisa” quando Daemon a curou, enquanto estava entre a vida e a morte. De repente ela perceberá que antes de tocar em alguma coisa, ou ela vai se mover, ou se afastar, explodir… O tipo de coisa inexplicável, que somente os Lux sabem fazer com seus poderes.

Saber lidar e conseguir controlar esses poderes recém descobertos será uma loucura, ainda mais quando Katy informar que deseja lutar contra os Arum, inimigos dos Lux. Tudo que Daemon quer é que Katy não se aproxime dos seus inimigos e o modo que ele tenta protegê-la de tudo é simplesmente lindo gente! Só que mesmo que ele não a ajude com isso, ela encontrará outra pessoa. Uma pessoa que Daemon não confia. Um cara gato, que estuda na mesma sala que Katy, e já demonstrou que tem interesse nela. 

“Não era justo com ele… nem com o Daemon. Não estava pronta para acreditar no meu vizinho, mas não podia continuar fingindo que não havia nada entre nós”.

SAGA LUX, LIVRO ONIX, EDITORA VALENTINA, BELEZA DE LIVROS, MYLENA FERNANDA, RESENHA, BLOG, JENNIFER L. ARMENTROUD

Daemon fará de tudo para que Katy acredite o quão importante é para ele. Demonstrará de diversas formas o quanto a deseja. E juntos vão embarcar em uma jornada, onde ela não acreditará no seu amor, e ele, como adora um desafio, irá provar que a ama. Katy tomará algumas decisões precipitadas e absurdas, o que me deu uma dor de cabeça, de tanto gritar com ela. E no final, todas as decisões que ela tomou, acarretará graves consequências. 

“Porque sei o que sinto aqui dentro. E, não sou o tipo de pessoa que foge das coisas, por mais difíceis que sejam. É melhor bater de cara numa parede de tijolos, do que passar o resto da vida imaginando o que teria acontecido”.

O grande problema que  gera algumas confusões no livro, é a confiança. A confiança será uma arma utilizada de diversas formas. A única pessoa que Katy precisará confiar será no Daemon, ainda que faça o contrário. Eles precisarão lidar com o DOD, o departamento de defesa, que de alguma forma, eles imaginam que sabem dos seus poderes. Apesar de todas as tristezas e mágoas que surgirá, algo muito interessante e inesperado acontecerá e nos deixará embasbacados.

Essa série é de causar arrepios. Você grita com os personagens e quase enlouquece quando um mal entendido é interpretado da maneira errada. Eu super Recomendo! Daemon e Katy não são normais. Nenhum dos dois com seus poderes extraterrestres. Mas, ao mesmo tempo, eles são perfeitos. O enredo e a maneira como dialogam encanta e irrita, isso que torna essa série tão especial.

“Acolhi de braços abertos aquela arrebatadora sensação. Minha visão mudou, parecendo pulsar em meio a uma cortina de névoa. Inclinei a cabeça ligeiramente de lado. A eletricidade impregnava o ar, devorando o oxigênio”.