Resenha|P.s.: Ainda amo você – Jenny Han

                          Sinopse

20190609_110251

Lara Jean sempre teve uma vida amorosa muito movimentada, pelo menos na cabeça dela. Para cada garoto por quem se apaixonou e desapaixonou platonicamente, ela escreveu uma bela carta de despedida. Cartas muito dela, muito pessoais, que de repente e sem explicação foram parar nas mãos dos destinatários.

Em Para todos os garotos que já amei, Lara Jean não fazia ideia de como sair dessa enrascada, muito menos sabia que o namoro de mentirinha com Peter Kavinsky, inventado apenas para fugir do total constrangimento, se transformaria em algo mais.

Agora, em P.S.: Ainda amo você, Lara Jean tem que aprender como é estar em um relacionamento que, pela primeira vez, não é de faz de conta. E quando ela parece estar conseguindo, um garoto do passado cai de paraquedas bem no meio de tudo, e os sentimentos de Lara por ele também retornam. Uma história delicada e comovente que vai mostrar que se apaixonar é a parte fácil: emocionante mesmo é o que vem depois.


Olá leitores do meu coração! Como vocês estão? Tudo beleza?

O livro P.s ainda amo você é o segundo livro da trilogia para todos os garotos que já amei, onde nos continuamos conhecendo um pouco mais da história de Lara Jean e Peter Kavinsky, aquele casal que arrebatou os nossos corações e nos deixou eufóricos por uma continuação. 

Lara Jean e Peter Kavinsky resolvem dar mais chance ao seu relacionamento depois da forma invertida que as coisas começaram ao se conhecerem e para isso porque não fazerem outro contrato para tudo funcionar de forma perfeita e deslumbrantemente bela, não é mesmo? Tudo ficaria bem, caso o vídeo de Lara Jean e Peter no ofurô fosse colocado na internet e toda a escola fizessem piadinhas e insinuações grotescas sobre algo que não passava de um beijo caliente.

“Dou um sorriso de alívio e escrevo no papel: Lara Jean e Peter não vão partir o coração um do outro”.

A autora abordou esses tema com bastante cuidado onde nós podemos sentir na pele o machismo e preconceito onde Lara Jean foi vítima, porque no vídeo não está somente Lara Jean e sim acompanhada de Peter, mas o lado sempre fica pior para o lado da mulher, o homem sempre é considerado um garanhão, o pegador não é mesmo? 

“Ah, meu Deus. Agora tenho que me sentar para jantar e olhar para o meu pai, sabendo que esse vídeo existe. Essa não pode ser a minha vida”.

P.S ainda amo você, Jenny Han, trilogia, eu amo ler, leitura, indicações de livros, beleza de livros, blog, resenhas

Claro que Kitty e Margot irmãs de Lara Jean ajudam ela a passar por tudo isso, afinal, elas como irmãs songs que são, sempre ajudam umas as outras. Além desse vídeo ter viralizado na internet Lara Jean precisa lidar com o fato do seu namorado ainda possuir certa ligação com a ex namorada Genevieve sua ex amiga de infância, o que sério, me deixou com os cabelos e emoções a flor a pele e roer o restinho de unhas que ainda tenho, afinal, como pode ele continuar sendo amigo de uma pessoa que odeia sua própria namorada?

“Eu posso já tê-la conhecido, mas não conheço mais. É Peter quem a conhece melhor agora. Além do mais, não é assim que se perde um namorado? Agindo como uma paranóica ciumenta e insegura?

Caso eu visse o Peter pessoalmente eu ia sacudir ele e cantar a música da Naiara Azevedo, ex é ex, passado é passado…kkkk, brincadeiras a parte, eu realmente fiquei com raiva do Peter, sinceramente. A autora também abordou temas como inseguranças no livro, aquela insegurança que os adolescentes tem em lidar com os seus relacionamentos e muita das vezes a gente consegue se identificar neles e pensar eu também já senti isso.

“Lara Jean, só se lembre de uma coisa: A garota sempre deve controlar até onde as coisas vão. Os garotos pensam com o você-sabe-o-quê. Depende de você manter a cabeça no lugar e proteger o que é seu”.

Essa sequência do livro é maravilhosamente perfeita e considero melhor do que o primeiro, a história ficará mais ainda apaixonante quando uma pessoa do passado de Lara Jean aparecer e deixá-la bastante indecisa em certas questões. Lara Jean e Peter, juntos em uma sincronia intensa e arrebatadora lutam para descobrir como dar continuidade a um relacionamento que começou de cabeça para baixo.

P.S ainda amo você, Jenny Han, trilogia, eu amo ler, leitura, indicações de livros, beleza de livros, blog, resenhas

Eu super recomendo esse livro e já digo, se preparem! Você vai ficar ansioso(a) por mais um pouco e absorto em cada letra, linha e página. E gente, eu queria guardar a família toda de Lara Jean em um pote e ficar olhando o dia todo, eles são perfeitos e a irmã menor a Kitty é uma pentelha admirável, que também podemos considerar protagonista, afinal, ela faz parte do início de tudo.

“Ela cresceu como uma erva daninha, sem mãe, só duas irmãs e um pai. Não é pouca coisa. É extraordinário”.

P.s: Vocês sabiam que na Cultura Coreana quando você faz reverências para os mais velhos e lhes deseja sorte no ano novo, ele dão dinheiro em troca? (Deveria ser assim no Brasil kkk, seria o máximo!!!)

Resenha|Devoção – Maya Banks (Trilogia Surrender)

                                                                              Sinopse

Primeiro ela testou os limites do desejo com a trilogia Breathless. Agora, Maya Banks, a autora best-seller #1 do NY Times, vai ultrapassá-los. Na trilogia Surrender, casais que desejam renovar seu compromisso vão perceber que um momento de desatenção pode custar muito caro…

devoção, maya banks, trilogia surrender,quinta essencia, leya, resenha, beleza de livros, blog, eu amo ler, livros, booksChessy e Tate estão casados há anos. No início, o relacionamento deles era tudo o que Chessy queria. Ela oferecia ao marido a submissão e, em retribuição, ele cuidava para que ela se sentisse completamente segura e feliz.Porém, em alguns anos, Tate . passou a dar menos atenção a Chessy, fazendo com que ela se sentisse em segundo plano. Cada vez mais infeliz em um casamento que havia sido, um dia, tudo o que ela tinha sonhado, Chessy sabe que algo de muito urgente precisa ser feito, antes que coloquem tudo a perder. Tate ama sua esposa.. Sentir-se provedor de Chessy sempre foi sua prioridade. Mas, ultimamente ela aparenta estar distante e infeliz, deixando-o preocupado. Tão preocupado que decide organizar uma noite muito especial, que pode reacender a chama que existia neles no começo.

Mas, uma ligação no momento errado quase coloca tudo a perder: a segurança de Chessy, o plano de Tate, a crença no amor… Ao perceber que estava prestes a perdê-la, Tate prepara-se para o grande embate da sua vida. Decidido a reverter a situação a qualquer custo e conquistá-la novamente, ele vai mostrar a ela que nada é mais importante do que o amor que sentem um pelo outro.


O livro devoção é o terceiro da trilogia Surrender, onde conhecemos a história de Chessy e Tate. Esse casal nós conhecemos no primeiro livro  rendição e no segundo devoção. Enquanto eu estava lendo os outros livros, eu ficava me perguntando porque Tate não dava mais atenção a Chessy , e passava diversos tipos de coisas na minha cabeça e com certeza de qualquer outro leitor que esteja lendo essa trilogia. As melhores amigas de Chessy são a Jossy do primeiro livro e a Kylie do segundo, então, nos livros anteriores nós ficamos sabendo que Chessy e seu marido estão passando por uma situação difícil no seu casamento. Um casamento de 7 anos. Mas o que poderia ser? Tate parece não notar que sua mulher está infeliz, ou será, que ele sabe e fecha os olhos para isso?

“Chessy adoraria poder dizer que sua própria vida amorosa- seu casamento- era tão incrível quanto os relacionamentos de suas melhores amigas”.

Chessy planeja contar para o marido como se sente, pedir mais atenção, pois ele coloca o trabalho em primeiro lugar, a deixando pelo terceiro, quarto plano, algo que é inadmissível para um homem como ele… Um homem que é dominador, que precisa colocar as necessidades da sua mulher a frente das suas, cuidando dela, tornando prioridade em sua vida. Só que Tate esqueceu do seu papel. Esqueceu que sua mulher é uma submissa e ele seu dominador. Tudo o que ele prometeu ao se casar…Não existe mais.

Como ela queria isso de volta! Como ela queria o marido de volta! Queria que as coisas fossem como antes da tentativa de ele ganhar a vida por conta própria, constituindo uma empresa de planejamento financeiro com um sócio que sumiu na primeira oportunidade e deixou-o na mão, atendendo sozinho a clientela”.

Tate só vai descobrir como anda o seu casamento, após Chessy desabafar toda sua angústia no dia que estiverem comemorando mais um ano de casamento. O dia que ele marcará um jantar, e não chegará, o dia que ele cairá na real e perceberá que está prestes a perder a mulher amada. O mais louco dessa história é que o personagem Tate, nem sequer pressentia como sua mulher estava infeliz, ele via que ela estava diferente, mas não sabia que o motivo era ele. Nos primeiros anos de casamento, colocava o mundo aos seus pés, agora não se importa tanto com isso.

devoção, maya banks, trilogia surrender,quinta essencia, leya, resenha, beleza de livros, blog, eu amo ler, livros, books

Chessy verá uma cena na noite da comemoração de seu casamento que a deixará chocada, revoltada, triste e pedirá um tempo para o seu marido, seu casamento… A gente começa a entender como Tate se sente, ele ama sua mulher e jamais pensou que um dia ela pudesse se separar dele, nunca imaginou isso, e em sua cabeça ela sempre estaria ali para ele, era algo concreto, que ela sempre estaria ao seu lado. Ele fará de tudo para reconquista-la, tudo mesmo… E quando está no caminho, ele receberá um telefonema bem na hora errada, um telefonema que pode ser o ponto final para a sua relação.

“Tate não conseguia respirar. Uma mão invisível parecia apertar sua garganta sem piedade, privando-o de oxigênio. As palavras de Chessy pareciam tão…Definitivas. O fato de que merecia cada uma delas fazia o pânico se espalhar por seus nervos. Uma vida sem Chessy era impensável”. 

O telefonema que Tate recebeu, permitiu que algo muito ruim acontecesse com sua mulher e isso é algo que pode ser imperdoável para ele. Nesse momento a gente começa a pensar como será o final do livro, será se ficarão juntos, será se ele vai mudar? E no meio da história a gente tenta compreender porque Tate está tão longe… Será que ele trai ela? Seria esse um dos motivos?

“Ele passou a mão pelos cabelos, sentindo-se abalado. Chessy o imobilizou com o peso de seu olhar e sua expressão acusadora e, ao mesmo tempo, devastada.

-Ah desculpe-me, Tate. Deixei você chateado? Que egoísta da minha parte não dar a você toda a minha atenção”.

Enquanto lia os livros anteriores, eu ansiava cada vez mais para ler esse, para tentar entender Tate, afinal, foram anos ignorando sua mulher, não cumprindo o papel de dominador. Esse livro não superou as minha expectativas. Eu amo todos os livros da Maya e esse foi o único que ao terminar, senti falta de algo, uma continuação na história. 

Sabe aquele livro que a todo momento, você sente que o personagem vai fazer uma burrada? Eu senti isso ao ler esse livro. Tate é um personagem que ao mesmo tempo que eu queria passar a mão na cabeça e dizer que vai ficar tudo bem eu queria bater e chutar.

Eu já li muitos livros que tratam sobre dominação e submissão, e realmente gosto, a única coisa que não gosto é quando a mulher deixa trabalhar, porque já tem o marido para suprir suas necessidades, porque o marido pediu que o fizesse. Na minha opinião toda mulher precisa de sua independência, ainda mais financeira.

Enfim… A trilogia encerrou e meu coração está encharcado de amor por esses personagens. Eu recomendo esse livro, afinal, a história é muito boa e a escrita da Maya, como sempre, perfeita!

“Aquela seria a maior luta de sua vida, e Tate estava totalmente pronto para a batalha. Não haveria amarras capazes de prendê-lo diante da tarefa de reconquistar Chessy, seu amor, sua fé, sua confiança. Ele queria tudo. Em troca, ele se daria inteiro para ela”.

Resenha|Um lugar para o amor – Sherryl Woods

                                                                                                       Sinopse

um lugar para o amor, beleza de livros, sherryl woods, amo ler, livros,resenhas, harper collinsAbandonado pelos pais e separado dos irmãos, Ryan Devaney jamais deixou que alguém se aproximasse demais. Afinal, as pessoas não ficavam por muito tempo Mas sua sorte muda quando a porta de seu bar irlandês é escancarada por uma ruiva intensa e apaixonada pela vida. Maggie O’Brien decide que chegou a hora de derrubar de uma vez por todas a muralha de gelo em torno do coração de Ryan. Ele insiste em afirmar que não acredita no amor, mas o sorriso radiante e o toque carinhoso de Maggie fazem com que mude de ideia pouco a pouco.

Um espírito solitário que encontra conforto… O despertar de sonhos há muito esquecidos… Ryan se dá conta de todo o tempo perdido e agora seu maior desejo é reencontrar os irmãos. Mas ele estaria pronto para aceitar o desafio de Maggie, e reservar dentro dele um lugar destinado ao amor dela – para sempre?


 

Eu não conhecia nenhum livro dessa autora, e confesso que comprei o livro porque estava na promoção. Eu li em uma tarde de domingo e o que posso dizer….? Valeu a pena!!! Eu como uma pessoa super apaixonada por romance, me apaixonei por Ryan Devaney.

Ele é um personagem que não acredita no amor, pois quando era pequeno, ele o mais velho, junto com seus irmãos foram separados por meio da justiça, já que os pais não os tratavam como deveriam cuidar dos seus filhos. Isso quebrou algo dentro de Ryan, a ponto da gente pensar que ele jamais se recuperaria.

Mesmo após tantos anos, ele se sente culpado, porque quando a assistente social informou que eles iriam se separar, ele não fez nada, e mesmo sendo uma criança, acha que devia ter feito algo. Agora ele não é mais uma criança assustada, e sim um homem que se tornou rico, isso… Agora ele é  proprietário de um Bar Irlandês.

um lugar para o amor, beleza de livros, sherryl woods, amo ler, livros,resenhas, harper collins

Ryan é um cara muito solitário, nunca deixa ninguém se aproximar demais, pois no seu conceito, assim que ele abre o seu coração para alguém essa pessoa depois vai embora. Mas isso, não envolve nenhum relacionamento amoroso e sim as feridas que ele guarda de seus pais irresponsáveis e de  seus irmãos que foram separados quando eram apenas crianças indefesas.

E tudo muda quando em uma noite entra uma ruiva que ele acha deslumbrante, seu nome… Maggie O’Brien. Tudo o que Maggie precisa é de alguém que arrume o pneu do seu carro, entretanto acaba conhecendo Ryan. No decorrer do livro, os dois vão se aproximando, por causa de Maggie que começa a sentir algo por Ryan, porque se dependermos de Ryan ele não se aproxima de ninguém.

Maggie possui uma família grande e barulhenta… Tudo o que Ryan tanto quis, mas nunca teve, e isso faz com que ele não queira se aproximar dessa família. Mas assim como Maggie a família dela, é muito persistente e vai fazer todo o possível para ele fazer parte da família, mesmo que ele faça o contrário.

Os dois vão se aproximar aos poucos, Maggie vai fazer de tudo para tirar Ryan daquele buraco escuro que ele vive, e Ryan tentar se convencer de que ele não é o homem perfeito para ela. Aos poucos suas vidas vão se enlaçando e Ryan começa a se perguntar se seria tão ruim assim, ter um compromisso com alguém. Só antes de Ryan se comprometer com alguém precisa resolver alguns problemas do passado… Como encontrar os seus irmãos, pedir perdão, e quem sabe assim será feliz.

Esse livro nos mostra a importância de uma família, os melhores momentos que podemos partilhar e a infelicidade daqueles que não possuem uma. Eu super indico que vocês leiam essa obra maravilhosa e que junto com Ryan vejam a escuridão da vida começar a se dissipar, ganhando brilho ,e enfim… felicidade.

Frases

“Ainda assim, não conseguia desviar o olhar de Ryan. Afinal, ele era a fantasia feminina de um irlandês moreno e sensual”.

“O pânico desaparecerá com o tempo. Ryan também não é tolo. Um dia enxergará o que está a frente dele.

_Que Deus o ouça – retrucou Maggie, fervorosa”.

Maggie parece saber tudo o que precisa.

-Enão cabe a mim protegê-la de si mesma.

-Ela não lhe agradecerá. As mulheres não costumam gostar que os homens pensem por elas.

“Como poderia fazê-lo entender que, no momento em que Maggie o tocasse, passaria a fazer parte de sua alma? E que, a partir daí, teria o poder de destruí-lo se um dia o deixasse”?