Resenha|Amor verdadeiro na livraria dos corações solitários #2 – Annie Darling

amor verdadeiro na livraria dos corações solitários, resenha, blog, beleza de livros, eu amo ler, indicações de livros, eu leio, ressaca literária, séries, romance, beleza de livros

                                                                 Sinopse

amor verdadeiro na livraria dos corações solitários, resenha, blog, beleza de livros, eu amo ler, indicações de livros, eu leio, ressaca literária, séries, romance, beleza de livros

É uma verdade universalmente conhecida que uma mulher solteira, em posse de um bom emprego, quatro irmãs mandonas e um gato carente, deve estar em busca do seu verdadeiro amor. Será?

Verity Love ― fã de carteirinha de Jane Austen e uma introvertida em um mundo de extrovertidos ― está perfeitamente feliz sozinha, muito obrigada. E seu namorado fictício, Peter Hardy, é muito útil para ajudá-la a escapar de eventos sociais indesejados. Mas, quando um mal-entendido a obriga a apresentar um total estranho como namorado para suas amigas, a vida de Verity de repente se torna muito mais complicada.

Uma namorada fictícia também pode ser bem útil para Johnny. Indo contra todos os instintos de Verity, ela se deixa convencer a fazer uma parceria com ele para um único verão recheado de casamentos, aniversários e festas no jardim, com apenas uma promessa: não se apaixonarem um pelo outro. Mas isso não tem nem chance de acontecer, pois Verity jurou nunca mais ter um namorado, e o coração de Johnny já tem dona…


Olá gente!!! Como vocês estão? Tudo beleza?

Quem conheceu a Verity Love na pequena livraria dos corações solitários, imaginava que o famoso namorado de quem tanto falava era falso. Pois é isso mesmo! Ela inventou um namorado fictício para suas amigas pararem de importuná-la e para fugir de eventos sociais. Ela é uma introvertida que gosta de escutar as pessoas, ouvir o barulho da cidade, mas não gosta de ser o centro da atenção desse núcleo.

Sua vida mudará drasticamente quando um dia suas amigas Nina e Posy a seguirem até o restaurante, pensando que ela se encontrará com Peter Hardy. O namorado imaginário e perfeito que idealizou para elas. Assim que notar a presença de suas amigas ela imediatamente se desesperará e irá sentar ao lado do primeiro cara que ela olhar no restaurante. E quem é esse? Ele é simplesmente lindo, com um azul estonteante nas íris, embora estivesse com certo olhar frio para ela.

“Nenhuma tatuagem perceptível no pescoço, não estava vestindo nada horrível, só uma camisa branca simples sob um blusão de um tom semelhante ao azul – esverdeado de seus olhos espantados. Ele vai servir, Verity decidiu. Assim, na emergência, ele vai servir”.

O nome dele é Johnny,  arquiteto, lindo, não tem namorada. Algo não está certo né galera? Ele não é gay, por incrível que pareça. Ele simplesmente ama outra mulher, que segundo ele é um amor impossível. Eu imaginei que essa mulher era apenas invenção para ele se encontrar novamente com Verity, porém, eu estava redondamente enganada. Eles armam um acordo para irem juntos aos eventos sociais, as festas com amigos, enfim, seriam apenas amigos e nada mais. A condição é que Verity não se apaixone por ele, e vice versa. Então está tudo certo. Verity prometeu não amar mais ninguém depois de seu último namorado e Johnny, apesar de possuir característica perfeitas, ama outra mulher.

“Johnny endireitou o corpo e presenteou Verity com um sorriso mais devastador do que qualquer outro de seus sorrisos anteriores. Ela ficou até um pouco tonta”.

Os dois apresentarão o seu parceiro a suas famílias, claro, como amigos. Porém, todos pensarão que eles estão saindo e dará uma maior força para isso. Principalmente os amigos e familiares de Johnny, isso porque todos querem que ele pare de pensar nessa mulher que ele ama e fique com Verity.

amor verdadeiro na livraria dos corações solitários, resenha, blog, beleza de livros, eu amo ler, indicações de livros, eu leio, ressaca literária, séries, romance, beleza de livros

Depois de Verity descobrir quem é a mulher, ele falará bastante dela com um toque de drama que instantaneamente me deu uma crise de raiva. A mulher que ele ama é uma antiga namorada que se casou com o melhor amigo dele. Ele a ama, ela diz que o ama mais continua casada. É como um jogo, ela sabe que Johnny sempre estará aos seus pés, porque ele é louco por ela.

“Ele não olhou para outra mulher desde que ela se foi, dez anos atrás. Nem ia querer, porque ninguém estaria a altura dela. E eu puxei ao meu pai; me apaixonei pela Marissa todos esses anos atrás e nenhuma outra mulher vai conseguir tomar o lugar dela”.

Apesar de todos os motivos para Verity não se relacionar com ninguém, ela se apaixonará por Johnny. Uma das regras era ela não se apaixonar por ele. O coração dele já tem dona, e digamos que ele é um pouco obcecado por aquela mulher que representa, o amor colegial de tantos anos atrás, que ele não deixa no passado. E será nesse impasse de amor impossível e bastante drama que enlouquecerá o leitor.

Uma obra deliciosa e empolgante, composta por reviravoltas e um toque especial com frases da Jane Austen. Uma história irresistível  que nos instiga a torcer por um casal, onde ambos não acreditam que suas vidas amorosas possa incluir um final feliz. Super Recomendo!

“É por isso que somos apenas amigos. Eu jamais poderia amar um homem que não ama Orgulho e preconceito”.

Resenha|A cinco passos de você – Rachael Lippincott com Mikki Daughtry e Tobias Laconis

beleza de livros, a cinco passos de você, filme, livro, eu amo ler, livros, romance, fibrose cística, filme, indicação literária

                                                                                               Sinopse

beleza de livros, a cinco passos de você, filme, livro, eu amo ler, livros, romance, fibrose cística, filme, indicação literáriaStella Grant (Haley Lu Richardson) não é uma adolescente comum. Por causa da fibrose cística, doença crônica que impede que seus pulmões funcionem como deveriam, ela vive a maior parte do tempo no hospital, seguindo à risca seu tratamento na esperança de conseguir um transplante.Já Will Newman (Cole Sprouse), também portador da doença, não acredita mais na cura e quer aproveitar a vida ao máximo.

Apesar das diferenças, a conexão entre os dos fica cada vez mais forte, bom como a vontade de se aproximar. Mas as regras são claras – pacientes devem manter uma distância de seis passos entre si para evitar infecções.


Olá pessoas lindas do meu coração, como vocês estão? Tudo beleza?

A cinco passos de você é um livro produzido pela Editora Globo Alt baseado no filme que está fazendo bastante sucesso nas telinhas do cinema. Por que? Porque esse livro promete ser o novo “A culpa é das estrelas” e nos fazer chorar e emocionar bastante! 

No livro nós conhecemos Stella Grant e Will Newman que são dois adolescentes que poderiam fazer qualquer coisa que um adolescente pode fazer, como correr, jogar bola, andar de bicicleta, fazer boneco de neve, ir as festas, e muito mais. Só que ambos não podem fazer essas coisas devido a uma doença que eles possuem chamada Fibrose Cística, mais conhecida como FC. Essa doença age principalmente na área pulmonar, pâncreas e no sistema digestivo,  não tem cura mas tem tratamento. 

“Eu me pergunto, com bastante frequência, como deve ser ter pulmões tão saudáveis. Tão vivos. Respiro fundo, sentindo o ar entrando e saindo do meu corpo com dificuldade”.

Stella é um garota forte que faz o tratamento certinho para não preocupar os seus pais, e para isso ela segue toda uma metodologia para tomar os medicamentos na hora correta, e ainda possui um canal onde fala sobre a sua rotina sendo portadora da Fibrose Cística, para que mais pessoas saibam sobre essa doença que pouco se ouve falar. 

“Encerro a transmissão ao vivo e expiro devagar, fechando o navegador e vendo os rostos sorridentes, prontos para o baile de inverno da escola, no fundo da minha área de trabalho”.

Stella poderia pensar que sua vida era basicamente aquela para sempre, sobreviver, não preocupar seus pais e tenta ao máximo conseguir seguir sua vida sem para em um hospital a cada virada de esquina. E tudo muda quando um dia andando pelo hospital que já conhece como a palma de sua mão, ela vê Will Newman.

beleza de livros, a cinco passos de você, filme, livro, eu amo ler, livros, romance, fibrose cística, filme, indicação literária
O livro tem duas capas, o que eu achei lindo!!!

Will Newman  aparentemente é o típico bad boy que nem liga para o seu tratamento e pouco se importa com a opinião das pessoas, ele acredita que um dia terá que morrer, então porque não viver a vida da melhor forma possível? Ele possui a fibrose cística junto com B. Cepacia, isso significa que uma pessoa com FC e outra com B.Cepacia precisam manter 6 passos de distância, ou pode ser fatal para ambos devido a bactéria que é transmitida.

“Meu olhar viaja até o telhado onde Will estava mais cedo. Eu sabia bem quem ia encontrar quando chegasse lá, mas não imaginei que o veria tossindo, trêmulo. Nem com medo”

Uma pessoa que possui fibrose cística nunca será curada dessa doença, qualquer resfriado ou infecção pode se tornar um problema enorme levando a pessoa a ficar internada a mais não sei quantos dias em um Hospital, então esses portadores aprendem desde cedo a se cuidarem, tomar os devidos remédios na hora correta. Eles precisam de muitos medicamentos, vitaminas, oxigênio portátil, sonda…para continuarem sobrevivendo na esperança que apareça algum transplante de pulmão que os conceda mais uns anos de vida.

beleza de livros, a cinco passos de você, filme, livro, eu amo ler, livros, romance, fibrose cística, filme, indicação literáriaWill e Stella sabem que não podem se relacionar de forma alguma, ou ADEUS para a vida deles, eles não podem se tocar, o máximo que podem se aproximar é a 6 passos de distância, o que ficará bastante difícil para esse casal que quando menos se esperar estará completamente apaixonados. Será que é possível amar uma pessoa que você você nunca poderá tocar?

“A fibrose cística não vai roubar mais nada de mim. De agora em diante eu sou a ladra”

“Cinco passos de distância sempre”

Esse livro me fez encarar a vida de outra maneira, o quão é preciosa e valiosa. Nós podemos fazer o que quisermos, podemos correr, gritar, aproveitar os benefícios que temos por viver, nós temos pulmões, nós devemos curtir e cuidar disso. Stella e Will são exemplos de sobreviventes que conseguiram achar algo bom em uma situação triste e sofrida. Os dois juntos é como fogo e bomba que a qualquer momento pode explodir. É emocionante, inspirador e completamente apaixonante conhecer esses dois, eu super recomendo.

Leiam, chorem, ria e depois não esqueça de me contar o que achou, obrigada!

“Sorrimos um para o outro e, embora haja um milhão de motivos pelos quais eu não deva, não consigo negar que estou me apaixonando por ela”.

Resenha|Canções de Ninar de Auschwitz – Mario Escobar

canções de ninar de auschwitz, mario escobar, resenha, beleza de livros, blog, eu amo ler, real, livro sobre o nazismo, eu amo ler, livros, books

canções de ninar de auschwitz, mario escobar, beleza de livros

Sinopse

Neste livro, Mario Escobar conta a trajetória real de uma família que passou 16 meses encarcerada em um campo de concentração nazista. Helene Hannemann era alemã, mas mesmo assim optou por partir para Auschwitz junto de seu marido e os cinco filhos com ascendência cigana quando os policiais da Gestapo bateram à sua porta.

Por ser enfermeira, mas, sobretudo, alemã, Helene foi escolhida pelo médico Josef Mengele, mais tarde conhecido como ‘O Anjo da Morte’, para ser a diretora do jardim de infância do campo. No final da guerra, entre os papéis de Mengele, foi encontrado o diário que Helene manteve durante todo o seu período no campo de extermínio. Tendo como base a infeliz história daquela família, o autor nos emociona e surpreende ao narrar os medos, privações, torturas e até mesmo histórias de superação que milhares de pessoas vivenciaram sob o poder dos nazistas.


Este livro, Canções de ninar de Auschwitz não é somente uma história no papel, e sim uma história verídica que ocorreu na época do nazismo, exatamente em um campo de concentração. O autor narra de forma emocionante a luta pela sobrevivência de Helene Hannemann e de sua família.

Quem é ela? Uma mulher alemã, que tem cinco filhos e um marido cigano. A sua vida muda completamente quando alguns policiais aparece na sua casa e fala que precisam levar seu marido e seus cinco filhos para “campos especiais”. Os policiais procuram ciganos e seus descendentes, não pessoas alemãs, mas assim que falam que seus filhos serão levados junto com o marido, ela enfrenta-os e diz que vai para onde sua família for levada. 

“Meu coração começou a bater a toda velocidade, o ar parecia sumir do meu peito, mas continuei descendo as escadas com a esperança d que, mais uma vez, a desgraça passasse longe da minha vida. O que eu não sabia era que, daquela vez, estava destinada a sofrer”.

Depois de uma longa viagem em um trem onde passaram fome e sede, chegaram ao seu destino e um dos primeiros sofrimentos de Helene é quando separam ela e seus filhos para um campo e seu marido para o outro. O local onde são deixados é tão imundo, infectado que não serviria para nenhum ser vivo sobreviver. A estadia de todos ficará bastante complicada quando uma doença chamada tifo se espalhar com tamanha força entre algumas pessoas que o médico Josef Mengele, mais conhecido como “anjo da morte” decretará o extermínio não somente dessas pessoas, mais de todas as outras que sobreviviam nas proximidades.

“Eu sempre quis acreditar que, algum dia, todo mundo perceberia o que representava Hitler e seus amigos. Porém, não foi isso que aconteceu. Todos seguiram sua loucura fanática, transformando nosso mundo em um inferno de guerra e fome”.

Helene sabe que para possuir um pouco mais de comida para seus filhos precisa agir rápido e fazer algo que sabe para ajudar no acampamento, então começa a trabalhar como enfermeira, e assim sendo enfermeira ela acaba se aproximando de  Josef Mengele para pedir para não matar pessoas de tais barracões pois sabe que não estão infectados por doenças, e essa liberdade de falar o que pensa chamará a atenção de Mengele, afinal, ninguém desafia suas ordens. Ela contará que é Alemã e ele ficará sem entender porque ela prefere  permanecer naquele local, sendo que não é obrigada.

canções de ninar de auschwitz, mario escobar, resenha, beleza de livros, blog, eu amo ler, real, livro sobre o nazismo, eu amo ler, livros, books

O autor nos mostra claramente como é Josef Mengele, um homem doente que aparenta gostar das crianças, aparenta querer ajudar as pessoas e possui uma obsessão insana por gêmeos, estes que ele usa para fazer experimentos em laboratórios. Exemplo dessa dupla face é quando pede para Helene dirigir uma escola que pretende abrir ali, no campo de concentração de Auschwitz. 

O que eu achei mais lindo desse livro sabe o que foi? A coragem, determinação e força de Helene que mesmo estando em um campo de concentração e suspeitando da benevolência de Mengele, fez o seu melhor para ajudar aqueles que estavam em situação mais crítica que a sua, defendendo os mais fracos e ajudando o máximo de crianças a tentar esquecer, pelo menos enquanto estavam na escola, da triste situação em que se encontravam. As lágrimas que rolaram do meu rosto foram tantas que não tenho palavras para descrever, não foram poucas e não paravam mesmo que eu tentasse, leiam! Helene é uma mulher que teve seu destino selado por amar seu marido e seus filhos.

“Eu precisava continuar lutando por eles, precisava me agarrar à esperança, precisava encarar cada novo dia de frente, rezando para que aquele pesadelo terminasse de uma vez por todas”.

Só de pensar que essa personagem existiu, sabe qual é minha vontade? Passar a mão em sua cabeça e de seus filhos, abraçá-los em conjunto e dizer que eles são uns heróis, salvaram vidas de pessoas, buscaram o melhor em um local recheado de privações que nada tinha a oferecer, não deixaram que os nazistas corrompesse suas essências e suas dignidades, e que seu altruísmo Helene ficou na história e cravado no meu coração.

“Eu sorri. Naquele exato momento, percebi que sempre fui superior a eles e a todos assassinos que governavam aquele inferno. Sim, eles eram capazes de exterminar a vida de dezenas de milhares de pessoas em segundos, mas não podiam criar vida. Uma boa mãe valia muito mais do que toda aquela máquina assassina do regime nazista”.