Publicado em Editora DarkSide

Resenha | A Pequena Sereia e o Reino das Ilusões – Louise O’Neill

“Tudo parecia calmo e comum na superfície… Mas no fundo, era o início de uma grande revolução”.


A Pequena Sereia e o Reino das Ilusões é uma obra escrita pela Autora Louise O’Neill, onde nos mostra uma releitura do famoso conto de fadas mas trazendo uma perspectiva totalmente diferente ao leitor nos fazendo refletir dentro de um viés feminista sobre o emponderamento feminino, em um mar dominado por homens machistas que inferiorizam as mulheres. Quantas coisas devem se passar no fundo do mar, não é mesmo? Em “A Pequena Sereia e o Reino da Ilusões” nós conhecemos um Reino em baixo d’água, onde existem Sereias, Salkas (consideradas do mal), Rei do Mar e no meio disso até guerras.

O Rei do Mar é machista, ambicioso, egocêntrico e possui cinco filhas, todas submissas ao pai, todas obedientes conforme foram criadas e ensinadas a se portarem. Dentre as cinco filhas a que o Rei mas exibe como um troféu, sua filha caçula Muirgen. A filha que tem apenas 15 anos mas já está prometida a um ancião do reino por ordem do pai. As filhas do Rei, em geral, devem mostrar o quanto adoram e obedecem ao pai e jamais discordar dele.

O contrário do que pensa sua filha Muirgeen, a preferida que mantém todas as suas observações e curiosidades dentro de si fechado em um casulo porque segundo o que lhe foi ensinado, as mulheres não podem evidenciar tamanha curiosidade.

“Eu sou o diamante da coroa do meu pai, e ele está determinado a me ostentar como tal. Ele sempre exibe minha beleza por aí e toma qualquer admiração subsequente como se fosse um direito”.

Livro A Pequena Sereia e o Reino das ilusões, Livro, Fantasia, Beleza de Livros, Eu amo ler, Resenha, Editora DarkSide, Louise O'Neill.

O maior desejo de Muirgen é saber o que aconteceu com sua mãe, dizem tantas coisas a respeito, mas de todas as coisas, ela só tem certeza de uma coisa, a resposta para essa pergunta não está no mar, e sim na terra. Algo que pode ser impossível para uma sereia já que elas não possuem pernas, mas…uma pessoa com poderes tão fortes quanto do seu pai, pode sim ajudá-la. Quem leu o livro sabe muito bem que um dos propósitos da pequena sereia era fazer com que um certo homem chamado “Oliver” se apaixonasse por ela, mas em meio a essa oportunidade de viver na terra com suas pernas, ela pode ter uma boa chance de saber o que exatamente ocorreu com sua mãe.

“Tenho tantas perguntas, sabe? Passei anos engolindo todas elas, todas queimando amargamente no fundinho da minha garganta”.

Oliver é um garoto que a pequena sereia viu pela primeira vez e se apaixonou perdidamente, e uma das restrições que foi informado para que ela tivesse pernas foi que ela perderia um dos seus bens mais preciosos, sua voz, e caso ela não conseguisse fazer Oliver se apaixonar por ela até a lua cheia, ela simplesmente morreria. Em sua loucura apaixonada e desenfreada a pequena sereia aceitou o desafio, mas queridos leitores, eu fiquei angustiada quando ela perde a fala e com certeza vocês também ficaram.

Parar em lugar desconhecido e andar com as próprias pernas vai ser um desafio, mas conquistar um coração apenas com sua “beleza” sem sua voz vai ser uma tarefa bem mais complexa do que qualquer outra. Abdicar tanto de algo que você gosta por outra pessoa que você desconhece completamente, não é algo admirável e pode ser um erro terrível, ou não.

“Mas se sempre foi assim, quem sou eu para desafiar as regras? E como eu poderia? Se nem consigo falar, me dou conta de repente, não posso mudar nada”.

Livro A Pequena Sereia e o Reino das ilusões, Livro, Fantasia, Beleza de Livros, Eu amo ler, Resenha, Editora DarkSide, Louise O'Neill.

Muirgen vai se dar conta da força que as mulheres tem na sociedade e de que as mulheres podem ter sim personalidade, ingenuidade, tomar suas próprias decisões, ter liberdade para se expressar, e principalmente, do quanto são poderosas. Não precisa viver a margem dos outros, não precisa concordar com tudo, e acima de tudo, que nós criamos o nosso próprio final feliz.

A vida não é um conto de fadas e não é necessário um final com “Felizes para sempre” para alcançar os seus objetivos e se transformar em uma pessoa repleta de repertório, auto estima e dono(a) de si mesma. Um livro que me surpreendeu, me trouxe ótimos ensinamentos com um final excepcional. Sabe quando você fica aflita pelo final, e não tem ideia do que vai acontecer? Esse livro traz exatamente isso. Se eu gostei? Sem dúvidas, eu recomendo que todos leiam.

Um livro curto, uma edição maravilhosa, uma capa esplêndida, uma narrativa fluída e uma história de tirar o fôlego.

Começo a me questionar se quando chamamos uma mulher de louca não devemos também avaliar a pessoa ao seu lado e ver que sujeito andou fazendo para levá-la à insanidade”.

Publicado em Editora Bertrand Brasil, Resenhas

Resenha|Tudo por amor – Judith Mc Naught

                                                                     Sinopse

Tudo por amor, beleza de livros, judith mcnaught, eu amo ler, resenhas Professora respeitada em sua pequena cidade no Texas, Julie Mathison vive apaixonadamente seus ideais. Criada num lar adotivo, a jovem sente-se determinada a retribuir todo o amor e a bondade recebidos. Nada, nem ninguém, seria capaz de destruir a vida perfeita que havia alcançado.

Depois de fugir da prisão, Zachary Benedict, um ex-ator e diretor que teve a vida e a carreira destruídas após ser equivocadamente condenado pela morte da mulher, sequestra Julie e a força a levá-lo a seu esconderijo nas montanhas do Colorado. Nenhum dos dois poderia imaginar que estariam embarcando na viagem de suas vidas…


Olá leitores lindos e maravilhosos! Como vocês estão? Tudo beleza? Eu estou muito feliz depois de ler essa obra arrebatadora que Judith McNaught escreveu. Algo tão belo que é indescritível. Um romance com 597 páginas que prendeu minha atenção até a última letra.

Julie teve uma infância bem complicada e devido a isso, passou por alguns lares de adoção até que enfim foi adotada por uma família amorosa que a acolheu quando ela menos imaginava. Diferentemente do Benedict Zachary que sempre foi rico e era de uma família bem nobre da sua cidade até que um dia sua própria avó o colocou para fora de casa apenas com as roupas do corpo.

Zachary conseguiu se tornar sozinho um grande ator, diretor, famoso e bastante assediado, sendo até considerado um objeto sexual para algumas mulheres. Enquanto nadava nessa vidinha de astro de Hollywood, Julie trabalhava para se tornar uma filha perfeita para os seus novos pais se orgulharem dela.

E toda história que Zachary imaginava para sua vida foi destruída no dia que sua esposa foi assassinada, levando que ele fosse o principal suspeito. Ainda mais porque ele que dirigia o filme, e teve uma briga feia com ela na frente de todos que trabalhavam no set de gravação.

“Ele permaneceu rigidamente ereto, mesmo depois que alguém agarrou os seus pulsos, puxou-os para trás de suas costas e os algemou”.

O caminho de Zachary e Julie vai se cruzar quando depois de 5 anos preso, ele fugir da cadeia. E nessa tentativa de fuga, ele vai encontrar Julie. Uma coincidência do destino a colocou no mesmo lugar que Zachary e ele aproveitou essa obra do destino para pedir uma inocente carona para ela.

Ah leitores! Ele tinha sido acusado injustamente perante os júris e juíz e tudo que restou para ele, era fugir para bem longe daquele lugar. Imaginem um famoso astro de Hoolywood sendo acusado por um grave crime e todas as pessoas se afastando dele como se tivesse com uma grave doença contagiosa. Não é facil né gente!

“Julie Mathison parecia tanto um presente divino quanto uma pedra desastrosa no sapato de seus planos”.

Devido a doce Julie ter visto o mapa de fuga do Zach, ele simplesmente decide que vai levá-la para o seu esconderijo antes de sair do país. Eles vão para um lugar no colorado com uma casa onde ele decide que vão ficar. Julie fará o possível e o impossível para fugir, mas nem tudo sairá como o panejado e antes que imagina, estará ao lado de Zach, acreditando em sua inocência e acima de tudo, apaixonada por ele.

tudo por amor, belezadelivros, euamoler, romance, judith mcnaught

Apesar de todos os sentimentos que Zach possa sentir por Julie, ele sabe que o único futuro que tem é aquele longe de tudo, fugindo e sozinho. A autora descreve a historia de maneira impressionante, tornando o ambiente romântico, intenso e com bastante química.

“Uma parte dele o alertava que qualquer envolvimento sexual com a refém seria loucura. Poderia complicar tudo, e ele  não precisava de mais complicações”.

Mesmo nós leitores sabendo de sua inocência, acontecerá algo que novamente colocará Zach como culpado, e apesar de Julie ter acreditado nele, ficará bem balançada quando junto com tudo isso, uma pessoa descrever a personalidade de Zach de uma maneira que Julie jamais imaginaria. Em uma miríade de emoções e sensações angustiantes e felizes, nós vemos Zach passando por uma injustiça que infelizmente foi tão bem trabalhada, para que somente ele fosse considerado o culpado.

“Ele tentava decidir que tipo de vestido social faria jus ao seu ar de despretensiosa sofisticação quando se deu conta de que nunca teria a ocasião de levá-la a eventos sociais que exigissem um traje formal. Os dias de idas aos lançamentos de Hollywood, eventos benficentes, estréias de peças de Brodway e jantares de premiações estavam num passado distante”.

A autora nos mostra também como é a vida de uma celebridade de Hoolywood, as loucuras que os fãs fazem e o glamour que acaba mudando a cabeça de muitas pessoas levando-as a se preocupar com futilidades e transformando-as em pessoas superficiais. Outro ponto que gostei bastante foi o fato de Julie ajudar mulheres adultas analfabetas que nunca imaginariam que aprenderiam a ler, enfim, com incentivo e ajuda necessária conseguirem. Senti empatia por cada uma delas.

O livro é lindo, a história é maravilhosa e os personagens muito cativantes. Leiam, porque quando a gente menos imagina a autora tira nossos pés do chão e sentimos como se estivéssemos flutuando, perdendo a noção de tempo… até o capítulo acabar. Judith McNaught, mais uma vez você arrasou e também mostrou a força e coragem que nós mulheres possuímos. Amei!

“Agora o meu único arrependimento é que não posso tê-la comigo. Você é jovem e vai logo se esquecer de mim e continuar com sua vida. É exatamente isso que deve fazer”.

 

Publicado em Editora Valentina, Resenhas

Resenha|Originais #4 – Jennifer L. Armentrout

                                                                                        Sinopse

Originais, saga lux, beleza de livrosDAEMON FARÁ TUDO O QUE FOR PRECISO PARA TER A KATY DE VOLTA.

Após a bem-sucedida, porém desastrosa, incursão a Mount Weather, ele está tendo que encarar o impensável. Katy foi capturada. Sua única meta agora é encontrá-la. Destruir qualquer um que se ponha em seu caminho? Com todo prazer. Incendiar o planeta inteiro para salvá-la? Moleza. Expor sua própria raça ao mundo? Sem problema.

TUDO O QUE KATY PODE FAZER É SOBREVIVER.

Cercada por inimigos, a única maneira que ela tem de sair dessa é se adaptando. Afinal, nem todas as facetas do Daedalus são totalmente malucas, embora os objetivos do grupo sejam assustadores e as verdades propagadas ainda mais perturbadoras. Quem é de fato o inimigo? O Daedalus? A humanidade? Ou os Luxen?

JUNTOS, ELES PODEM ENCARAR O QUE VEM PELA FRENTE.

No entanto, a pior de todas as ameaças esteve escondida o tempo inteiro. Quando as verdades vierem à tona e as mentiras forem enfim desmascaradas, de que lado o Daemon e a Katy decidirão ficar? E será que eles conseguirão, pelo menos, continuar juntos?


Olá gente! Como vocês estão? Tudo beleza?

A sinopse desse livro é de arrepiar os pelinhos do braço, e também, um baita spoiler para quem não leu os livros anteriores. só de reler, já dá uma vontade de pegar o livro e ler de novo. Originais é o quarto livro da série lux, escrito pela autora Jennifer L. Armentrout e lançado pela Editora Valentina.

Daemon, Katy e seus amigos conseguiram salvar Bethany, namorada de Dawson. Só tem um pequeno probleminha. Quando estavam saindo do departamento que abrigavam Lux e Híbridos, afim de realizarem testes e saberem a dimensão do seu poder, acabou que Katy não conseguiu sair a tempo e ficou para trás. Os Daedalus a capturaram.

Nesse livro a narrativa será intercalada dentro do ponto de vista, tanto de Daemon, quanto de Katy. É legal, e bem interessante saber um pouco dos pensamentos do Daemon, já que os outros livros sempre foram do ponto de vista de Katy. Depois que Katy é capturada, Daemon faz de tudo para salvá-la, até mesmo renegando lux, pessoas de sua própria espécie, apenas para encontrá-la.

“O antigo que continuava em sua forma humana, estava parado alguns metros atrás de mim, em meio aos Luxen que eu derrubara. Meu corpo vibrou com o poder não liberado. Eles não deviam ter tentado me deter. Nenhum de vocês deveria ter tentado fazer isso”.

A única forma que Daemon verá de conseguir chegar perto de Katy, será se ele for capturado.  Ele sendo capturado poderá ficar no mesmo local que Katy e protegê-la. Ele conseguirá exatamente isso, mesmo que seja obrigado a fazer qualquer outra coisa. Como por exemplo, transformar / curar humanos para se tornarem híbridos.

saga lux, originais, eu amo ler, livros, jennifer . Armentrodud, eu amo ler, editora valentina,

Claro que Katy ficará enfurecida quando descobrir o que Daemon fez por ela. Mas nós sabemos queridos leitores, que juntos eles são bem mais fortes, disso eu tenho certeza. A única coisa que eles acharam bem estranho é o fato deles colocar Katy e Daemon com o aposento um do lado do outro. Eles possuem um banheiro que dá acesso ao outro. E depois de tantos questionamentos irão descobrir que eles planejam que os dois fiquem juntos para ter um filho. Um filho de Luxen e uma híbrida que podem ser umas criancinhas um pouco bizarras, com poderes alienígenas assustadores.

“Katy deu um tapa na minha mão quando tentei apertar seu nariz de novo. Sem ofensa, mas não estou com a menor vontade de fazer bebezinhos esquisitos com você no momento”.

Os Daedalus criaram uma raça única, diferente, com poderes bem ou tão superiores quanto dos Luxen. Quem são eles? São os Originais. Originais é uma raça composta por criancinhas, geradas por um híbrido com um Luxen e são mantidos no mesmo departamento que Katy e Daemon. Dentre tantos poderes, eles ainda possuem a capacidade de ler a mente das pessoas, sem exceção, eles sabem tudo o que você está pensando. E um dos guardas que cuida de Katy e Daemon é um original, um homem já formado que possui esses poderes, e descobrirão isso só depois. Talvez esse soldado seja um aliado, ou talvez não. Só digo uma coisa, que eu disse em todas as resenhas da Saga Lux, eles precisarão saber em quem exatamente devem confiar.

“Queríamos escapar dali, ter um futuro onde não fôssemos vistos como malditos experimentos científicos ou controlados por uma organização secreta. No entanto, o que o Daedalus estava fazendo com os originais teria consequências que nenhum de nós dois conseguia sequer começar a compreender”.

eu amo ler, livros, jennifer . Armentrout, eu amo ler, editora valentina, blog, belezadelivros

Os dois lutarão para sair daquele lugar, nem que para isso, seja necessário se aliarem com os originais. Talvez, seja uma loucura muito grande, já que eles possuem poderes para acabar com o mundo em um piscar de olhos, mas se for preciso, eles farão. Originais é um livro que te prende do ínicio ao fim, é enlouquecedor e surpreendente com um final bem dramático e bastante ação. Meu coração está apertado só de pensar que falta apenas um livro para essa saga terminar, mas não me arrependo e com certeza indico. Quem diria que um livro com alienígenas pudesse ser tão interessante!

“Observei-a até não conseguir mais manter os olhos abertos. Passei, então, a contar suas respirações até começar a esquecer qual fora o último número”.