Resenha|Um cavalheiro a bordo – Julia Quinn (Os Rokesbys #3)

                                                               Sinopse

um cavalheiro a bordo, julia quinn, beleza de livros

Ela estava no lugar errado…

Durante um passeio pela costa, a independente e aventureira Poppy Bridgerton fica agradavelmente surpresa ao descobrir um esconderijo de contrabandistas dentro de uma caverna.

Mas seu deleite se transforma em desespero quando dois piratas a sequestram e a levam a bordo de seu navio, deixando-a amarrada e amordaçada na cama do capitão.

Ele a encontrou na hora errada…

Conhecido entre a alta sociedade como um cafajeste e um corsário inconsequente, o capitão Andrew James Rokesby na verdade transporta bens e documentos para o governo britânico. No meio de uma viagem, ele fica assombrado ao encontrar uma mulher na sua cabine. Sem duvida sua imaginaçao esta lhe pregando pecas. Mas, não, ela e bastante real – e sua missao para com a Coroa o deixa preso a ela.

Sera que dois erros podem acabar no acerto mais maravilhoso de todos?

Quando Andrew descobre que Poppy e uma Bridgerton, entende que provavelmente terá que se casar com ela para evitar um escândalo. Em alto-mar, as disputas verbais entre os dois logo dão lugar a uma inebriante paixão. Mas depois que o segredo de Andrew for revelado, sera que ele conseguira conquistar o coração dela?


Olá leitores lindos! Como vocês estão, tudo beleza?

Um cavalheiro a bordo é o terceiro livro lançado pela Julia Quinn da linhagem Os Rokesbys, onde nós tivemos o prazer de conhecer a história do sarcástico e muitas das vezes considerado inconsequente, Andrew. Uma história intercalada pelo ponto de vista tanto de Andrew quanto de Poppy, que nem imaginaria que pudesse conhecê-lo de uma maneira tão surpresa quanto inusitada.

Todos nós sabemos que a Família dos Rokesbys e dos Bridgertons  sempre foram muito próximas e que  ambas famílias ficariam muito felizes se um se apaixonasse pelo outro e a união fosse pelo sangue. Poppy fica irritada e querendo matar alguém quando ao descobrir uma caverna que não seria vista por qualquer um, caso Poppy não fosse tão curiosa, ser encontrada, amarrada, colocada em um saco e jogada na cama de uma pessoa que ela nunca viu, e ainda por cima dentro de um navio que já estava zarpando.

“Andrew era o comandante inquestionável do navio e não havia a bordo um único homem que se atrevesse a contrariar uma ordem dele – também não havia a bordo um único homem que quisesse contrariá-lo”.

Ao descobrir uma mulher jogada em sua cama, na sua cabine, tudo o que Andrew faz é pedir explicações aos seus homens que trabalhavam em sua tripulação e de uma coisa Andrew tem certeza, não pode deixá-la voltar pois a caverna que ela descobriu tem certas coisas que não podem ser encontradas já que faz parte do trabalho que presta a coroa.

Andrew percebe que a única maneira dela não contar nada a ninguém é deixá-la viajar com eles por duas semanas e depois na volta tirassem tudo que colocaram naquela caverna e enviassem para outro lugar. Será uma semana divertida com respostas atrevidas e espirituosas com questões filosóficas onde somente um entende o outro, claro que só vão perceber isso com o tempo.

“Ela o encarou, sustentado o olhar. Estava fazendo questão de se mostrar tão blasé quanto ele. E, se não conseguisse, morreria tentando”.

A situação em que se encontravam até poderia ser melhor, caso Andrew não soubesse que ela era uma Bridgerton, ou seja, caso fosse descoberto que estavam zarpando em um navio praticamente sozinhos e a tanto tempo, na certa seria obrigado a se casar com ela. Um ponto ao seu favor: Ela não sabe que ele é um Rokesbys.

um cavalheiro a bordo, os rokesbys, eu amo ler, livros, resenha, beleza de livros

Esse livro também nos faz refletir sobre tamanho conhecimento que somente os homens tinham o direito de adquirir como fazer faculdade e as mulheres não, o que me fez pensar no que Poppy disse no livro, com certeza, se as mulheres tivessem esse direito seriam mais inteligentes e possuiriam mais poder que os homens, o que naquela época era inaceitável.

“À noite. Com certeza. Ele não iria voltar, de jeito nenhum, para ver como ela estava. Definitivamente, não”.

Andrew começa a perceber que não consegue ficar muito tempo longe de Poppy e arranja qualquer desculpa apenas para ficar perto dela, conversando e ouvindo suas respostas que poucas pessoas conseguem competir com ele no quesito respostas rápidas e certeiras.  

“Ela riu outra vez chegando mesmo a tombar a cabeça para trás com a gargalhada. Andrew estava enfeitiçado. Já a achava bonita, mas, naquele momento ela transbordava algo muito, muito além da beleza”.

Um cavalheiro a bordo é um livro surpreendente que ao darmos início zarparmos junto com os personagens ouvindo um som de mar, sentindo a brisa no rosto e iniciando uma história que promete, afinal é da Julia Quinn. Andrew e Poppy são personagens inquestionavelmente irritantes, maravilhosos e muito inteligentes que atiçam a curiosidade do leitor para saber mais e aprender sobre questões que geralmente não pensamos. Os dois personagens lidarão com  situações bem complexas e ainda tem o fato de Poppy não saber que Andrew é um Rokesbys. Eu com certeza indico esse livro e já sinto saudades dos meus impetuosos personagens.

“Se fizesse uma pergunta boba talvez ele até risse, mas nunca dela. Andrew ria porque a curiosidade dela o alegrava”.

Resenha|Corte de espinhos e rosas #1- Sarah J. Maas

                                                                               Sinopse

corte de espinhos e rosas, beleza de livros, editora galera, belezadelivros, eu amo ler, livros e leituras, sarah J. Maas, romance, trilogia, rhysand, feyre

Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar uma fada zoomórfica transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação. Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira — que ela só conhecia através de lendas —, a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la… ou Tamlin e seu povo estarão condenados.


Olá leitores lindos do meu coração! Como vocês estão? Tudo beleza?

Enfim, finalizei a leitura dessa obra incrível escrita pela mesma autora de trono de vidro. Corte de espinhos e rosas é o primeiro volume de uma trilogia, junto com um conto que foi lançado recentemente aqui no Brasil. Quem me conhece sabe que raramente eu leio livros que tenham fantasia e poderes, mas eu resolvi dar uma chance a essa obra e conhecê-la o que levou um bom tempo até eu me preparar e viajar para um mundo mágico.

Feyre é uma caçadora, disso ela tem toda certeza e desde cedo aprendeu as habilidades necessárias para conseguir um pouco de comida para ela, suas duas irmãs e seu pai. Mas nem sempre foi assim, eles eram uma família com dinheiro e status até que um dia o seu pai perdeu tudo e ficaram dependendo apenas da filha mais nova, Feyre, que sempre lutou para sua família não passar fome. Toda sua vida mudará quando um dia matar um lobo, mas não é qualquer lobo é um lobo feérico, ou seja, ele vive do outro lado da muralha. Uma muralha onde os humanos jamais ousam ultrapassar com medo das “coisas” que existem e do que podem fazer com meros mortais.

“O olho dourado que lhe restava encarava o céu, agora carregado de neve, e, por um momento desejei ter a capacidade de sentir remorso por sua morte. Mas aquilo era a floresta, e era inverno”.

Apesar de não saber que o lobo era um feérico, ela será forçada a abandonar sua família quando uma besta com dentes e garras entrar no chalé obrigando-a segui-lo para sua moradia do outro lado da muralha. Tudo que Feyre precisa fazer será morar em outro local, longe de sua aldeia e dos humanos.

A sua estadia será em um local chamada corte primaveril, onde o Grão-Senhor (O sr que deve cuidar das próprias terras e dos habitantes) é o Tamlim, aquele ser bestial que a carregou para sua casa. Ela não será tratada como uma prisioneira ou com maltratos, ao contrário, será de forma gentil, oferecendo para ela comida, roupas e tintas para fazer o que mais gosta que é pintar.

“Não… não, eu não poderia simplesmente…ficar ali. Para sempre. Até morrer. Talvez… houvesse outra forma, ou outra pessoa que pudesse encontrar uma saída”. 

Infelizmente para Feyre as regras do tratado estabelecido entre os feéricos e os humanos era uma vida em troca da outra. Por essa razão, ela foi mandada para morar na corte primaveril. Ela fará de tudo para escapar, encontrar uma saída. O problema será falar para o seu coração que ela não deve ter nenhum sentimento especial para o Grão-Senhor Tamlim, para não surgir uma relação entre eles.

corte de espinhos e rosas, beleza de livros, resenhas, eu amo ler, livros, livros e leitura, editora galera

“Eu jamais pensara nesse tipo de coisa, além de conseguir que minhas irmãs fizessem casamentos seguros e que eu tivesse comida o bastante para meu pai e eu, e tempo para aprender a pintar”.

Entre tantas coisa que podem acontecer, uma pessoa não ficará feliz com a estadia da Feyre naquelas terras e fará de tudo para eliminá-la e para isso ela terá que lutar e usar suas habilidades como arma. A autora descreveu as cenas perfeitamente, onde conseguimos ver e criar o cenário do que exatamente está acontecendo. A história ficará melhor ainda quando um personagem maravilhoso entrar e fazer uma entrada triunfal, como sempre. Ele será muito importante na vida de Feyre e espero que vocês o ame, assim como eu.

”  -Aí está você. Estava a sua procura – falou uma voz masculina grave e sensual, que eu jamais ouvira”.

Corte de espinhos e rosas é um livro intenso, romântico com muita magia e poder. É recheado de mistério e reviravoltas que deixa o leitor roendo as unhas para saber o que vai acontecer, e nos mostra a intensidade do amor e as loucuras que podem ser feitas para demonstrar. O tipo de livro que faz você correr para a livraria mais próxima e comprar o próximo. Você sabe o que é um final eletrizante? É o final desse livro. Você suspira, chora e depois segue em frente. Eu entendi que ás vezes jogar algo envolvendo o amor, pode ser bastante perigoso. Eu super, hiper, mega recomendo.

“Se não houvesse uma trincheira impossível de ultrapassar entre nós, eu teria rasgado sua garganta. Algum dia – se sobrevivesse aquilo-, eu a esfolaria viva”.

Resenha|Opala #3 – Jennifer L. Armentroud

                                                                                                                          Sinopse

LIVRO OPALA, SÉRIE LUX, JENNIFER L. ARMENTROUD, EDITORA VALENTINA, BELEZA DE LIVROS
NINGUÉM É IGUAL AO DAEMON BLACK.
 
Quando ele prometeu que iria provar seus sentimentos por mim, não estava brincando. Nunca mais vou duvidar dele. E agora que conseguimos finalmente aparar nossas arestas, bem… Tem rolado muita combustão espontânea.
 
MAS NEM MESMO ELE PODE PROTEGER A  FAMÍLIA DOS PERIGOS DE TENTAREM LIBERTAR AQUELES QUE AMAM.
 
Depois de tudo o que aconteceu, já não sou mais a mesma Katy. Tornei-me uma pessoa diferente… E não sei bem o que isso vai significar no final. Quanto mais nos aproximamos da verdade e nos colocamos no caminho da organização secreta responsável por torturar e testar os híbridos, mais me dou conta de que não existe limite para o que sou capaz de fazer. A morte de um ente querido continua afetando a todos, a ajuda surge do lugar mais improvável, e nossos amigos irão se tornar nossos piores inimigos, mas não podemos voltar atrás. Mesmo que com isso estejamos arriscando destruir nosso mundo para sempre.
 
JUNTOS SOMOS FORTES… E ELES SABEM DISSO.

 
Olá gente!!! Como vocês estão? Tudo beleza?
 
Eu terminei a leitura de mais um livro da saga lux. Opala. Esse livro com personagens cativantes que me deixou com o coração na boca muita das vezes.
Dawson enfim chegou na série enquanto todos nós achávamos que ele estava morto. Ele estava com sua namorada Bethany no mesmo local, sendo torturado e obrigado a curar humanos para eles serem híbridos, tão ou mais forte, que os luxen. Como se não bastasse isso, caso algo desse errado durante a mutação desses humanos, a pessoa que era castigada era sua namorada Bethany.
Agora que ele está de volta, ele precisa lidar com o seu irmão Daemon e a namorada de Daemon. Katy. Ele nunca imaginaria seu irmão com humana, mas nós sabemos leitores, que muita coisa mudou nessa história até aqui.
Apesar de Daemon querer mais do que tudo ajudar o seu irmão a ir atrás de Bethany, ele não vai querer que Katy participe disso. Ainda mais quando descobrir que esse grupo que pegou Dawson e Bethany, está atrás de híbridos como Katy.
” – Você tem uma luz forte, pelo menos aos meus olhos. Sei que seria capaz de lidar com isso, mas a última coisa que eu quero é que essa luz seja maculada por algo tão sombrio”.
Tanto Katy quanto Daemon vão precisar saber em quem deve confiar, ainda mais quando precisarem da ajuda de um inimigo que veio lá do passado. Uma pessoa que afirma que precisa da ajuda deles, assim como ele. Mas não se deve fazer pacto com o diabo né gente! Eles ficaram chocados quando descobrirem que o lugar onde Bethany se encontra está completamente revestido de ônix. O material que é capaz de impossibilitar tanto os Luxen quanto os híbridos. E para isso, eles precisarão arrumar um jeito de burlar esse sistema para entrar nesse departamento no menor espaço de tempo possível e salvar Bethany.
“Para ser honesta, adorava fazer coisas normais com o Daemon – tipo sair para jantar. Algo que raramente acontecia. A escolha do filme ficou por minha conta, e optei por uma comédia romântica. Surpreendentemente, ele não reclamou. Talvez tivesse algo a ver com o gigantesco balde de pipoca com o qual nos empaturramos entre beijos amanteigados”. 
Livro opala, terceiro livro da série, série lux, editora valetina, beleza de livros, resenha, eu amo lerKat e Daemon descobrirão que existe uma pedra chamada opala que inibe os efeitos do ônix na pessoa e ainda amplia os poderes. E eles irão encontrar uma quando menos imaginar. Nessa história nem todos são inocentes quanto aparentam ser. Os seus amigos, podem ser seus inimigos e aqueles que você desconfia, deve ser aquele que com certeza, provará sua lealdade.
Essa história é de tirar o fôlego e quanto mais se aproxima o desfecho mais eu grito que não quero que termine. O Daemon com seu jeito super protetor está verdadeiramente um príncipe e vale muito a pena conhecer essa versão dele.
“Talvez algumas garotas ficassem chateadas por seus namorados jamais dizerem aquelas três palavrinhas mágicas. Com qualquer outro cara, eu talves também ficasse. Só que com o Daemon, bem essas palavras jamais seriam fáceis, ainda que ele não tivesse o menor problema em demonstrá-las”.
Gente!!! Falta mais dois livros para essa série terminar, e eu não consigo expressar minha angústia e alegria ao mesmo tempo. Eu amo esse casal. A maneira como terminou esse livro me fez correr para a livraria e comprar o próximo “Originais”. Eu não aguento ficar um segundo sem ler uma página sequer. Isso significa que eu com certeza recomendo. Em um ambiente sarcástico e apaixonante viajamos com pequenas turbulências que leva o coração a quase um infarto. Leiam!!!

“Nossos olhos estavam fixos um no outro e eu nunca, jamais iria me esquecer do pavor estampado nos dele, da expressão de profundo desespero”.