Resenha|Esplendor da honra – Julie Garwood

Sinopse

Esplendor da honra, beleza de livros, blog, livros, julie garwood

Na corte feudal inglesa, a dócil Lady Madelyne sofre com as excentricidades cruéis do irmão, o Barão Louddon. No entanto, durante a vingança contra um crime sórdido, o Barão Duncan de Wexton – o Lobo – comanda seus soldados contra Louddon. Como o prêmio, ele captura Madelyne. 

Todavia, quando o lobo pousa o olhar sobre a orgulhosa beldade, é tomado por um sentimento que jamais sentira e jura protegê-la com a própria vida. Então, uma vez que a paixão entre ambos se tornou inevitável,será que eles darão uma chance ao destino e se entregarão de corpo e alma a esse amor imperativo e selvagem?                


A história se passa na Inglaterra no ano de 1099 onde a autora alterna pelo ponto de vista de Madelyne e Duncan.

Lady Madelyne já estava cansada dos abusos que sofria de seu irmão, o barão Louddon, então planeja uma fuga, mas antes ela decide salvar o pior inimigo de seu irmão, o barão Duncan de Wexton, que seu irmão fingindo uma trégua deixou-o entrar em sua fortaleza para em seguida amarrar sua mãos, tirar praticamente todas as sua roupas e deixá-lo congelando no frio, fazendo um espetáculo para todos assistirem.

Duncan não foi até Louddon imaginando que a trégua realmente seria cumprida, pois ele conhecia bem o homem inescrupuloso que Louddon era, ele foi com um plano bem arquitetado onde fazia parte que fosse mesmo capturado. Lady Madelyne vai até Duncan e mesmo com muito medo solta as mãos do barão e começa a ajudá-lo a sair daquele lugar, e a primeira reação de Duncan é ficar hipnotizado pela visão de Madelyne. Ele imaginava que a irmã de Louddon era bonita pelas descrições, mas o que ele viu o deixou sem palavras, pois ela não era bonita e sim uma beldade.

Esplendor da honra, beleza de livros, blog, livros, julie garwood

A pergunta que não quer calar é: Por que a irmã de Louddon estaria salvando-o? Seria alguma armadilha? Um plano de Louddon? Isso era o que se passava na cabeça de Duncan, enquanto ela dizia para ele segui-la ele apenas observava a virada que ele não imaginava que aconteceria no seu plano.

A vida de Duncan e Madelyne se entrelaçam a partir do momento em que ela decide aquecer os seus pés… como? Ela pegou os seus pés gelados enfiou-os debaixo das suas roupas, apoiando no seu abdomêm. Esse foi um dos gestos mais altruísta que Duncan já tinha visto, mas ele sabe que não pode ficar pensando nessas coisas, ele tinha um trabalho a fazer e de repente pega Madelyne informando que não estava atrás de seu irmão e sim dela. Duncan puxa mão de  Madelyne e a carrega  para a fortaleza de Louddon.

O primeiro pensamento de Madelyne é que ele está louco, mas assim que chega ao pátio ela percebe que de louco ele não tem nada, a sua frente ela ver centenas de soldados de Duncan preparados para a batalha e se agarra a ele o deixando-o um pouco desconcertado. O que não podemos esquecer é que Madelyne é irmã de Louddon o pior inimigo de Duncan e isso ele sempre repete a si mesmo.

A paixão, energia e amor que existe entre os personagens é de ficar com os olhos marejados. Observar o convívio de Duncan e Madelyne é maravilhoso. Nós vemos aquela personagem tímida, recatada, indefesa, ganhar coragem, força, liberdade,vida… E Duncan? Nós vemos um guerreiro incapaz de sorrir sorrindo, convivendo com a família, protegendo com unhas e dentes aqueles que ama.

Madelyne diz tudo que se passa na cabeça, já Duncan não gosta quando questionam sua ordens o que muita das vezes será divertido a ponto de gargalhar em alto e bom som. A gente pode imaginar o final, como um bom conto de fadas, mas com Julie Garwood é melhor se preparar para uma dose de suspense.

Eu indico esse livro. É daqueles que você vira à noite e anseia que a história não acabe.

Frases

“Lembrou-se que ela a irmão do inimigo, nada mais, nada menos do que isso. Bela ou não, ela era seu títere, a armadilha para apanhar o demônio”.

“Dunca era o seu Odisseu. Era seu amante, seu protetor, seu salvador contra o irmão”.

“Sim…Ela era mais tigresa que gatinha agora”.

“-Levará meu coração com você, meu adorável captor.

-Não, Madelyne. Eu sou o seu prisioneiro de corpo e alma”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.